Manutenção produtiva total: o que é, vantagens e estrutura

31/08/2021
Acoplamentos
Lourenço Daudt

Dentro de uma empresa, existem diversos tipos de mecanismos para otimizar a produção. Os processos de manutenção são um dos elementos fundamentais para garantir um bom desempenho das atividades do maquinário. E é assim que entra a manutenção produtiva total.

Como o nome sugere, a manutenção produtiva total diz respeito a uma série de estratégias e procedimentos para garantir a manutenção total das máquinas e equipamentos.

 E por se tratar de um processo cada vez mais importante para as indústrias, chegou a hora explorar mais sobre esse conteúdo.

Ao longo do texto, iremos falar mais sobre o que é a manutenção produtiva total, quais são seus vários benefícios e qual é a estrutura funcional para se implementar a manutenção produtiva total. Boa leitura!

Leia também sobre automação industrial e entenda o que ela é e como pode ela te ajudar!

O que é a manutenção produtiva total?

A manutenção produtiva total, do inglês Total Productive Maintenance (TPM) não só é uma metodologia de trabalho, como também uma filosofia que atua no modo organizacional de lidar com os problemas de manutenção em geral. 

Esse método foi criado na década de 70, pelo japonês Seiichi Nakajima e tem grande força até hoje em dia.

A TPM tem uso para muitos tipos de negócios, servindo para identificar perdas em um processo produtivo, e assim, tornar possível maximizar o uso dos recursos financeiros e a qualidade das mercadorias. 

Dessa forma, esse tipo de manutenção foca no pleno funcionamento das máquinas em um processo produtivo.

Quais são os principais objetivos da manutenção produtiva total?

Os objetivos da manutenção produtiva total estão totalmente interligados entre si, mas focam em três fundamentos principais.

Esses fundamentos são, por sua vez, a melhoria das pessoas, a melhoria dos equipamentos e a qualidade total.

Quais são os benefícios da manutenção produtiva total?

Entre as muitas vantagens da implementação da manutenção produtiva total em uma empresa, podemos citar alguns benefícios como, por exemplo:

  • Reduzir as perdas e quebras do maquinário;
  • Diminuir as reclamações dos clientes;
  • Reduzir custos de produção;
  • Eliminar pausas não planejadas;
  • Ampliar a capacidade de autogestão da equipe;
  • Promover um ambiente de trabalho mais organizado e limpo;
  • Aumentar a produtividade geral da indústria.

Manutenção Produtiva Total:  8 pilares

A manutenção produtiva total se divide em 8 pilares, sendo cada um deles uma etapa importante para a garantia dela. São eles, então:

  • Manutenção autônoma;
  • Manutenção planejada;
  • Manutenção da qualidade;
  • Melhorias específicas;
  • Controle inicial;
  • Treinamento e educação;
  • Segurança, higiene e meio ambiente;
  • Áreas administrativas.

Vamos falar um pouco mais sobre todos eles.

1. Manutenção autônoma

A manutenção autônoma diz respeito à capacitação da mão de obra. Dessa forma, esse tipo de processo oferece um cuidado pelas máquinas que irá detectar eventuais problemas futuros, a partir dos colaboradores.

Com ela, portanto, os operadores se tornam mais capazes de contribuir com soluções que sejam mais assertivas para o negócio. Para uma boa manutenção, os funcionários devem saber atuar com autonomia e conhecimento.

2. Manutenção planejada

A manutenção planejada, por sua vez, prioriza o aumento da eficiência e eficácia do equipamento, buscando evitar que a máquina deixe de operar por problemas imprevistos decorrentes do processo.

Isso se torna possível, portanto, com a estruturação do planejamento das manutenções preditivas e preventivas, dentro de um cronograma de manutenção. Seu objetivo é, então, zerar as quebras.

3. Manutenção da qualidade

A manutenção da qualidade está ligado ao zero defeito. Isso é feito com o controle de todos os equipamentos, ações e métodos que estão envolvidos no processo. Sistemas automáticos de inspeção e controle de qualidade são bastante usados nessa fase.

Seu objetivo, é, portanto, impedir que produtos defeituosos sejam gerados, ajudando a apoiar o gerenciamento contínuo dos equipamentos.

4. Melhorias específicas

As melhorias específicas também fazem parte da manutenção produtiva total. Seu objetivo é aumentar a eficiência global do equipamento.

 Isso é feito com o  envolvimento de times compostos por especialistas de diferentes áreas, como, por exemplo, engenheiros de processo, operadores e manutentores.

É a partir desse grupo de profissionais que será possível trazer diferentes conhecimentos, gerar reflexões e, dessa forma, oferecer melhores soluções para os equipamentos.

5. Controle inicial

O controle inicial diz respeito à redução de tempo de introdução do produto e processo, com foco na acessibilidade: criar produtos fáceis de fazer e equipamentos fáceis de usar. Nessa parte, se analisa detalhadamente todos os produtos.

Dessa forma, ao  facilitar o uso de suas ferramentas de trabalho, se consegue otimizar as atividades de seus colaboradores.

6. Treinamento e educação

O treinamento e educação da manutenção produtiva total, por sua vez,  busca aumentar o nível e capacitação da mão de obra, oferecendo um treinamento sistemático na empresa.

Essa etapa é muito importante pois é a capacitação de seus funcionários que vai permitir o sucesso da empresa em otimizar seus processos.

7. Segurança, higiene e meio ambiente

Uma etapa muito importante também é garantir um ambiente sem risco de acidentes. Portanto, o pilar de segurança, higiene e meio ambiente busca assegurar esses elementos dentro do trabalho.

Priorizar a saúde e a segurança dos colaboradores e evitar impactos ambientais nocivos são dois exemplos que devem ser levados em conta na manutenção produtiva total.

8. Áreas administrativas

Por fim, também se tem o pilar das áreas administrativas. Esse setor deve trabalhar em conjunto com todas as outras áreas do negócio. O foco, nesse caso, é reduzir as perdas no processo administrativo por ineficiência. 

Sendo assim, a qualidade e a precisão das informações supridas por estes departamentos devem ser sempre asseguradas durante o processo.

Estrutura funcional para implantação da manutenção produtiva total

De modo geral, a manutenção produtiva total é normalmente implementada em quatro fases, sendo elas:

  • Preparação;
  • Introdução;
  • Implementação;
  • Consolidação.

Descubra tudo sobre PDCA: O que é, Benefícios e Como Aplicar na Indústria

Conclusão

Como podemos ver, a manutenção produtiva total tem como principal objetivo aumentar a produtividade de um processo produtivo, permitindo benefícios como a redução de perdas e custos e a possibilidade de ampliar a capacidade de autogestão da equipe!

Sobre o autor:
Lourenço Daudt
Lourenço Daudt trabalha na engenharia de aplicação da Antares Acoplamentos. Há anos trabalha visitando fábricas e acompanhando de perto as dificuldades dos operadores no dia-a-dia.