manutencao-industrial-como-saber-que-esta-na-hora-de-fazer

Manutenção Industrial: 3 Maneiras de Saber que Está na Hora de Fazer

Quando se fala em manutenção industrial, o que vem à sua mente? Provavelmente, o conserto de algum equipamento, correto? 

Na verdade, o conceito vai muito além disso, e entender todos os detalhes garante a produção em alta e, consequentemente, os bons indicadores da indústria. 

Sendo assim, não dá mais para perder tempo no incerto, concorda? 

Aproveite este conteúdo para você descobrir tudo sobre o que é manutenção, quais os tipos, a ordem de prioridades e muito mais! 

Boa leitura!

O Que É Manutenção Industrial?

o-que-e-manutencao-industrial

O conceito está ligado à inspeção e ao reparo de peças, máquinas e sistemas em indústrias. 

Mais do que isso, a ação também oferece o cuidado a pessoas e, até mesmo, ao meio ambiente. 

No próximo tópico, vamos entender melhor as funcionalidades. 

Qual o Objetivo da Manutenção Industrial?        

Quem faz parte do chão de fábrica sabe que o sucesso dos negócios depende muito do alto desempenho dos maquinários. Logo, os três principais objetivos da manutenção industrial são:

  • redução da paralisação de equipamentos que afetam a operação;
  • reparo, em tempo hábil, das ocorrências que reduzem o potencial de execução dos serviços;
  • garantia de funcionamento das instalações de forma que os produtos ou serviços atendam a critérios estabelecidos pelo controle de qualidade e padrões pré-estabelecidos.

Só que vale lembrar que todos os equipamentos estão sujeitos a apresentarem problemas parciais ou totais. 

Para que isso não ocorra, é realizada a manutenção. A atividade não só conserta, como, na verdade, evita danos. 

E não para por aqui… 

O conceito de manutenção industrial ainda olha com cuidado para os colaboradores, para a sociedade e para a natureza. 

Sim, pois alguns produtos químicos, por exemplo, podem causar sérios danos aos seres humanos e ao ecossistema. 

Então, vale sempre ficar muito atento a tudo. 

Percebe como a manutenção industrial vai muito além de reparos em peças e máquinas? 

Continue a leitura, pois existem vários outros pontos a explorar!

Como Identificar a Necessidade de Manutenção?

Definir, manter e coordenar processos adequadamente é a base de tudo. 

Veja alguns caminhos para ter a certeza de que é preciso fazer a manutenção industrial: 

  1. Tenha Uma Gestão de Manutenção

A gestão de manutenção engloba a parte estratégica bem como a parte de indicadores. 

Quando falamos de indicadores, cada empresa sabe qual KPIs deve medir, mas algumas boas dicas são:

  • OEE (Eficácia Geral do Equipamento): iremos tratar deste assunto exclusivamente em um artigo futuro. Fique ligado!
  • TMEF (Tempo Médio entre Falhas): número de horas de operação dividido pelo número de falhas;
  • TMPR (Tempo Médio para Reparo): tempo calculado pela soma do tempo de reparo dividido pelo número de equipamentos analisados;
  • Confiabilidade: aptidão de um equipamento de manter o padrão de qualidade esperado durante toda a sua vida: este cálculo é um pouco mais complexo, mas é dado por:

confiabilidade (%) = e^( – número de horas de operação * tempo / número de falhas no período) * 100

Você não só pode, como deve formar uma gestão de manutenção. Frequentemente, avalie e oriente seus colaboradores a ficarem atentos aos maquinários. 

Qualquer alteração precisa ser muito bem avaliada e, dependendo do caso, corrigida. 

1. Confira o Tempo de Produção 

O tempo necessário para desenvolver os produtos também dá indícios. Se o período aumentou com o passar dos dias, isso também pode ser um sinal de que algo não vai bem. 

A análise dos indicadores que citamos acima, principalmente o TMEF (Tempo Médio entre Falhas), é importantíssima. Se começar a baixar, a equipe deve ficar atenta.

Nessa situação, pare tudo, avalie as peças, máquinas e sistemas! 

2. Levante o Histórico das Máquinas

Mais uma ótima dica é ter sempre o histórico dos maquinários: quando eles foram criados, instalados, se já apresentaram falhas, quanto costumam render diariamente, se há a necessidade de cuidados especiais, entre outros pontos. 

Ou seja, é essencial ter um dossiê de cada máquina. Nele você pode encontrar informações como:

  • dossiê do fabricante, com todos os documentos fornecidos;
  • arquivos internos, com histórico completo de manutenções e análises;

É muito útil para encontrar possibilidades de melhoria, que impactam positivamente no OEE, TMEF, TMPR e até na confiabilidade.

Ter consciência de toda essa trajetória te dá o timing ideal para agir.

Todos os cuidados citados são essenciais, uma vez que eles previnem problemas. Ou seja, te ajudam a agir antes de ter qualquer parada de produção e, claro, prejuízos. 

Além disso, lembre-se de que o controle de tudo acarretará alta qualidade dos produtos e, consequentemente, maior satisfação dos clientes. 

Quais São os Tipos de Manutenção Industrial?

O termo em pauta é realmente muito mais abrangente do que a maioria das pessoas imagina. Outra prova disso é a variedade de modalidades de manutenção. 

Ao todo, são cinco aplicações. 

Confira: 

1. manutenção corretiva (de emergência) — faz o reparo em peças ou equipamentos assim que eles apresentam falhas e danos, ou simplesmente é a operação de manutenção realizada após a falha, imediatamente após ocorrer;

2. manutenção corretiva (programada) — é realizada quando a equipe identifica defeitos ou paradas de produção, e a gestão orienta o reparo. Bem similar à anterior, porém, após a falha ser identificada, a data de reparo é programada e não feita imediatamente. As manutenções corretivas são aceitáveis quando os gastos indiretos de falha e os problemas de segurança são mínimos. manutenção corretiva (programada) — é realizada quando a equipe identifica defeitos ou paradas de produção, e a gestão orienta o reparo. Bem similar à anterior, porém, após a falha ser identificada, a data de reparo é programada e não feita imediatamente. As manutenções corretivas são aceitáveis quando os gastos indiretos de falha e os problemas de segurança são mínimos. 

Não é aceitável em indústrias nucleares, de aviação, aeroespaciais ou farmacêuticas e alimentícias. Este tipo de manutenção geralmente é ocasionado por projeto inadequado, má qualidade de fabricação, má operação ou manutenção insuficiente. 

E em alguns casos, se dá em função do resultado da análise feita na manutenção preditiva;

3. manutenção preventiva — ocorre a cada intervalo de tempo, de ciclos ou de produção. Esse tipo de manutenção é efetuada com a intenção de reduzir a probabilidade de falha de um bem ou a degradação de um serviço prestado. É uma intervenção prevista, preparada e programada antes da data provável do aparecimento de uma falha. Envolve atividades sistemáticas, tais como: inspeções, reformas e troca de peças e tem como objetivo aumentar a confiabilidade, a vida do equipamento e a segurança geral;

Dentro da preventiva, há também a manutenção autônoma. É quando o funcionário, durante o turno de trabalho, decide realizar uma verificação e/ou manutenção, como nível de óleo, avaliação de ruído, desgaste de ferramentas e etc.

4. manutenção preditiva — é definida de acordo com medições não invasivas do estado atual da máquina. Envolve todo o trabalho de acompanhamento e monitoramento das condições da máquina, de seus parâmetros operacionais e degradação. Busca o estado zero de falha. Por exemplo: análise de vibração do motor;

5. manutenção de condição — manutenção evoluída da preventiva, colocando o material “sob supervisão contínua” em que as intervenções só ocorrem quando é realmente necessário e antes das falhas acontecerem. Um caso particular deste tipo de manutenção é a preditiva aplicável a máquinas rotativas.

Qual a Prioridade e a Ordem da Manutenção Industrial?

Tão importante quanto saber os tipos de manutenção industrial, é entender qual a ordem de prioridades. Assim, você pode agir da melhor maneira possível, antes que tudo piore. 

A ordem de ação é a seguinte: 

  • emergencial — para casos em que haja risco à vida dos colaboradores e/ou da comunidade externa, além da degradação do meio ambiente;
  • urgente ou crítica para situações que estejam em um patamar abaixo da emergencial. Ou seja, você até pode levar mais tempo para resolver, mas não muito. Caso contrário, o problema se tornará de emergência; 
  • comum — para falhas em máquinas, peças e sistemas que podem ser melhor estudadas para a resolução. Sendo assim, não há tanta prontidão em indicar uma resolução. 

Será que a indústria para a qual você trabalha já viveu momentos assim?

Em algumas indústrias é comum usar uma escala de cores para definir o nível de criticidade do problema. O vermelho geralmente é algum problema grave de segurança, por exemplo.

Se você quiser saber mais sobre o assunto, não deixe de assistir ao filme “Horizonte Profundo” disponível na Netflix. O filme trata de um acidente em uma plataforma de petróleo ocasionado pela manutenção preventiva mal feita.

Quais São os Benefícios da Manutenção Preditiva?

quais-os-beneficios-da-manutencao-preditiva

São muitas as vantagens da manutenção industrial, começando por tarefas básicas do dia a dia a grandes resultados anuais. 

Veja só os pontos positivos:

  • otimização de tempo de trabalho;
  • aumento da produtividade;
  • melhora da qualidade dos produtos;
  • mais comunicação entre equipes de manutenção e operação;
  • aumento da vida útil das máquinas;
  • diminuição da espera para o andamento de projetos e produções;
  • agregação de mais valor por parte dos clientes;
  • maior número de vendas;
  • diminuição de prejuízos;
  • aumento da quantidade de indicadores positivos para a indústria;
  • redução de situações de emergência;
  • aumento da capacidade analítica e de gerenciamento de crises;
  • entre vários outros. 

Conclusão

Então, você imaginava que o conceito fosse tão amplo e fundamental? 

Agora que você já sabe o que significa a manutenção industrial, quais são as variações, benefícios e como aplicá-la, não perca mais tempo! Promova essa ação em seu trabalho! 

Há muitas possibilidades de atuação no mercado de trabalho. Diariamente, ensine outros times e troque informações com mais profissionais. Afinal, o networking sempre vem a somar. 

Mais do que isso, trabalhe para manter o funcionamento e a ordem, por boas práticas e peças de qualidade! Tudo isso é extremamente importante para qualquer indústria. 

Seja um profissional a fazer a diferença nos negócios!

Sobre o autor:

Compartilhe este artigo:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email

Deixe uma resposta

Bem vindo
ao Blog Antares

Com sede em Caxias do Sul (RS), a Antares é um dos mais importantes fabricantes de acoplamentos no Brasil. Aqui você verá novidades da empresa e tendências no setor de Acoplamentos Flexíveis.

Cadastre-se para receber novidades do Blog Antares:

Leia também:

Fechar Menu