Antes da Antares, indústria da alimentação sofria com quebras a cada 45 dias

01/07/2019
Linhas
@antares

Nesta indústria da alimentação, substituição de acoplamentos ocorreu há 18 meses e ainda não foi preciso nova troca

Quando algum acoplamento quebra em uma indústria, o custo do produto não é o único prejuízo. Deve-se levar em conta, especialmente, a perda de produtividade registrada. A pergunta a ser feita é: com o equipamento parado para a manutenção, quanto a empresa deixa de faturar?

As quebras nas lâminas chegavam a acontecer de 45 em 45 dias nos acoplamentos instalados em uma indústria de alimentos localizada em Castro, no Paraná. A empresa possui quatro aplicações, todas em motores de compressores de amônia, gerando um transtorno enorme e generalizado, já que os quatro equipamentos registravam as quebras.

Há cerca de um ano e meio, o cliente adotou uma solução Antares. Foi feita a troca de acoplamentos para o modelo AT-105 da Antares. A mudança se mostrou assertiva e, em menos de seis meses, as quatro aplicações já contavam com esse acoplamento. Desde que a primeira troca ocorreu, há cerca de 18 meses, não foi necessária nenhuma substituição de elemento elástico nos acoplamentos Antares. A melhora nos índices de manutenção, portanto, foi extremamente significativa.

Para o desenvolvimento da solução, acompanhamento direto e suporte técnico, o cliente contou com a Isoar Automação Industrial, distribuidor autorizado Antares na região. A engenharia da Isoar analisou a situação desta indústria da alimentação para buscar a melhor uma solução.

indústria de alimentos tem melhor produtividade

Leia mais:
Manutenção Preditiva é fundamental para empresas que querem ganhar competitividade

Sobre o autor:
@antares